Força-tarefa tenta evitar grande número de queimadas em 2019

A Força-Tarefa conta com aplicativo de celular que funciona em tempo real e auxilia na sinalização das propriedades visitadas via GPS

Na segunda quinzena de junho, dando continuidade ao trabalho de conscientização e alerta das comunidades rurais tocantinenses sobre os riscos e as infrações envolvendo o uso do fogo em propriedades rurais, equipes da Força-Tarefa de Prevenção a Queimadas e Incêndios Florestais visitam mais alguns municípios. Até o final do mês proprietários rurais de Lizarda (dia 18), Paranã (dia 25) e  Arraias (dia 26), vão conhecer os mecanismos de prevenção para evitar queimadas e a legislação que pune aqueles que insistirem no uso ilegal do fogo. 

Para este ano, o objetivo é iniciar projeto de combate nos municípios que lideram o ranking de queimadas (Foto: Divulgação)

Este ano, parceria entre Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh) e a Universidade Federal do Tocantins (UFT), por meio do Centro de Monitoramento Ambiental e Manejo do Fogo (CEMAF), a Força-Tarefa conta com um reforço importante. Trata-se de um aplicativo de celular, que funciona em tempo real e auxilia na sinalização das propriedades visitadas, via GPS.  “Ele faz o registro da coordenada, com a possibilidade de acrescentar informações sobre a visita, o que foi desenvolvido naquele local, adicionar fotos, etc. Esses dados têm a informação espacial, então no futuro poderemos saber exatamente onde foi realizada a queimada ou outra degradação”, explica o coordenador do CEMAF, professor Marcos Giongo.

O trabalho da Força-Tarefa começou no dia 11 de junho em Palmas, Araguaína e Gurupi. Mais de 700 propriedades rurais já foram visitadas. No mês de julho já estão previstas passagens por Goiatins (dia 5), Mateiros (dia 9), Ponte Alta do Tocantins (dia 16) e Rio Sono (dia 18). Esses municípios foram escolhidos porque em 2018 estiveram no topo do ranking daqueles com mais queimadas. 

https://jalapaonews.com.br/estado/forca-tarefa-tenta-evitar-grande-numero-de-queimadas-em-2019